Mentiras, preconceito e homossexualismo - Resposta respondida

Um certo "Loka" (é assim que ele assina) escreveu uma resposta a meu artigo "Mentiras, Preconceito e Homossexualismo". O meu texto original está em negrito, e os comentários do "Loka" em itálico.



Nos últimos anos surgiram vários grupos que procuram fazer com que se tornem leis aquilo que chamam de "direitos dos homossexuais", que são por estes grupos considerados direitos humanos.
-------------------------------------------------------------
Nesse primeiro parágrafo se subentende ou que o autor não considera os homossexuais como seres humanos ou então que ele acha que os homossexuais  não tem direitos... Putz!

Já começou confundindo as bolas. Se eu tento fazer valer em todo o território federal uma lei do Município de Vascongonhas do Mato Dentro e alguém diz que esta lei não é federal, isso não significa nem pode significar que Vascongonhas não faz parte do teritório federal, sim que é uma parcela dele e sua legislação não se aplica a todo o território. A questão, na verdade, porém, é outra. Conforme indiquei pelas aspas em torno de "direitos dos homossexuais", os "direitos" que eles pedem não são direitos, sim privilégios abusivos (por serem contrários à Moral). Além disso, colocar como se estes supostos "direitos" fossem "direitos humanos" é fazer com que os supostos "direitos" (que na verdade são privilégios para sodomitas) supostamente abarquem a todos. Só pode ser direito humano o que é um direito de todo humano. Parece-me óbvio isso. Os "direitos dos homossexuais",  assim como os "direitos dos canhotos",  dos alcóolatras, dos colecionadores de selos... só dizem respeito a um grupo determinado, não sendo portanto "direitos humanos".



Estes grupos baseiam seus protestos e petições em várias mentiras, meias-verdades e enganos.

Vejamos quais eles são:
1 - O homossexual "nasce assim", e não pode fazer nada a respeito.
Mentira. O homossexualismo é, de acordo com mais de 70% dos psiquiatras americanos, uma doença que tem cura, não uma "inclinação" que vem da barriga da mãe. O homossexualismo é geralmente causado pela falta de uma pessoa adulta do mesmo sexo que seja vista como um modelo para a criança na fase em que ela está desenvolvendo a sua personalidade (de 1 até os 4 anos de idade). Esta pessoa normalmente é o próprio pai, mas pode perfeitamente ser o avô, tio, primo...
Como este problema surge quando a criança ainda é muito pequena, é compreensível que o homossexual não tenha nenhuma lembrança de já ter sido normal. A cura do homossexualismo é feita por tratamento psicológico, que procura levar o paciente a perdoar seu pai e buscar um modelo masculino adequado.
---------------------------------------------------------------------
Sinto muito, mas essas teorias psicológicas não explicam  o porquê  de pesquisas sérias de zoólogos e estudiosos da  natureza  também detectarem comportamentos homossexuais em centenas de  espécies de animais... Sera que esses animais 'gays' também  sofreram 'traumas psicológicos' devido a ausência da presença paterna??? Como esses ' psicólogos  e estudiosos americanos  explicam isso?

1 - Não são "animais gays". Há raríssimos casos (em geral em grupos em que não há, ou quase não há, fêmeas) em que animais são forçados a assumir papel feminino pelos seus "coleguinhas" mais fortes. Há tbm casos de pura luxúria dissociada do sexo do parceiro (não diferentes dos cachorros que se masturbam nas pernas das pessoas, que talvez o autor dos comentários veja como uma justificativa para o sexo entre espécies, o chamado bestialismo...). Não há, porém, animais que assumam identidade feminina sem constrangimentos sociais  que os forcem a fazê-lo.

Isso ocorre porque os animais não têm auto-consciência, não formam suas personalidades. Toda a personalidade de um gato ou cachorro é inata, sem um componente social (ainda que os comportamentos deles sejam condicionado socialmente, como qqr um que já treinou um cachorro sabe). No ser humano, há problemas quando aquilo que é formado socialmente (não em termos de condicionamento, pois pensamos e temos auto-consciência) "não bate" com o que é inato. Assim, uma criança criada como se fose o sexo oposto não se sente pertencendo ao sexo oposto, e uma criança sem um referencial do mesmo sexo durante a fase de formação da personalidade apresenta uma síndrome que - em nossa sociedade - faz com que ela seja freqüentemente levada a ver-se e comportar-se como homossexual.

Além disso,  cabe lembrar que, graças a Deus, não somos cachorros, sim seres humanos. Justificar o homossexualismo por analogias com o reino animal faria necessário tbm justificar o estupro.

Não é a toa  que psicólogo rima com astrólogo, tarólogo, etc.. etc... Mostre na mídia esses homossexuais "curados" que queremos ver. Ex-gay é igual a fantasmas, duendes, Saci-Pererê, Mula-sem-Cabeça, Papai-Noel, bruxas, pesquisados do Ibope, etc... tem gente que acredita que existe, mas um  de  verdade, nunca viu.

O mundo seria melhor se os donos da mídia não tivessem tanto interesse em propagar as mentiras pró-sodomia e apresentassem estes casos. Não é só vc que os quereria ver.

Outra coisa essa teoria da 'ausência  paterna', não explica o  porquê de em uma família um filho se tornar homossexual e outro não, e também não explica o  porquê de  filhos de casais  separados  ou mães solteiras não se tornarem todos homossexuais, portanto  conclui-se que existem 'furos' nessas teorias.

Mas é claro que explica. Filhos de casais separados ou mães solteiras podem perfeitamente ter outras figuras paternas (conforme escrevi, "Esta pessoa normalmente é o próprio pai, mas pode perfeitamente ser o avô, tio, primo..."). Quanto aos filhos que são diferentes, basta abrir os olhos e perceber que as pessoas não são iguais. Os pais tratam uns de uma maneira e outros de outra, alguns são mais sensíveis e outros mais "casca-grossa", etc. Seres humanos não são argila peneirada, que marca sempre da mesma maneira as mesmas impressões.



 2 - 10% das pessoas são homossexuais
Mentira. Estes dados, freqüentemente citados pelos grupos ativistas pró-homossexualismo, vêm do chamado "Relatório Kinsey", feito por um americano que usou métodos totalmente anticientíficos, e não têm nenhum valor. O Dr. Kinsey pesquisou basicamente entre pessoas condenadas por crimes sexuais e atentados violentos ao pudor nas cadeias americanas, e omitiu este fato, divulgando sua pesquisa como se ela fosse uma representação da sociedade como um todo, não dos meios criminosos mais depravados. Pesquisas mais recentes mostram que não mais de 2% da população já teve relações homossexuais; 33% por cento dos abusos sexuais contra crianças nos Estados Unidos, porém,  foram feitos por homossexuais assumidos. Uma parcela muito maior dos homossexuais assumidos já se envolveu em atos sexuais com crianças que qualquer outro grupo da sociedade.
--------------------------------------------------------------
Não gosto e nem acredito em números de relatórios, portanto vou me  abster  de comentar sobre o  percentual de  homossexuais na sociedade, mesmo porque a maioria deles vivem 'dentro do armário' ou seja, não são assumidos e portanto dificilmente eles  revelariam sua 'condição sexual' publicamente, mesmo para uma pesquisa, seja ela de qual entidade for.

Será? Creio que hoje em dia, em muitos meios, é menos problemático ser heterossexual...

Quanto a pedofilia eu já ouvi pessoas sérias afirmarem justamente o contrário, ou seja, que a grande maioria  dos  pedófilos são na realidade heterossexuais ...

Sim, claro. O caso, porém, é que enquanto os noventa e tantos por cento heterossexuais da população cometem 67% dos crimes, um percentual ínfimo de homossexuais comete 33%. O gritante é a desproporção. É como se uma rua pequena fosse o local de enorme parcela percentual (digamos, um terço) dos acidentes de automóvel de uma cidade; seria lógico considerar que, ainda que a maior parte dos acidentes ocorresse em outras ruas, esta é especialmente perigosa, não?

Basta perguntar aos  heteros quando iniciaram sua vida sexual e qual era a  idade de seus parceiros. Garanto  que a maioria  dos homens e mulheres responderão que se  iniciaram antes dos 18 anos com um parceiro adulto anos mais velho ..:-)

Sim, e daí?

E se levarmos em  conta que a maioria dos clientes das prostitutas mirins do 3º mundo são homens e heterossexuais,  conclui-se que esses dados associando  pedofilia  com  homossexualidade são injustos e preconceituosos para com os gays em geral.

Não, não são. A ocorrência *proporcional*  é muito maior. Além disso, por serem dados referentes a crimes, não estamos falando de relações consensuais, de modo geral (com exceção daquelas moças com um pai muuuuito brabo!).

Além disso a maioria dos pedófilos geralmente é casado ( portanto heterossexual,  não é?). Os pedófilos abusam preferencialmente ou dos filhos (as) e  enteados(as) ou então qualquer outra criança da família porque é mais fácil e  mais  conveniente ( e independente do sexo ao qual pertença a criança - afinal a perversão da pedofilia não costuma levar o sexo da criança em conta).

Há dois problemas aí. O primeiro, com o qual já lidamos, é que vc está ignorando a proporção, que é o ponto central do argmento. O segundo é que normalmente para o pedófilo faz sim enorme diferença o sexo da criança. Na verdade é até algo problemático considerar os pedófilos homossexuais e heterossexuais juntos; eles não "fazem concorrência", pois geralmente interessam-se apenas por um determinado sexo e faixa etária.



 3 - Os homossexuais não têm um estilo de vida mais perigoso que o dos heterossexuais.
 Mentira. A idade média de morte dos homossexuais americanos é de 42 anos, se não levarmos em conta os que morrem de Aids. Se os levarmos em conta, a espectativa de vida de um homossexual americano é de 39 anos. Apenas 9% dos homossexuais dos EUA atingem os 65 anos de idade. Um homem heterossexual casado no mesmo país tem uma expectativa de vida de 75 anos. A idade média em que falecem as lésbicas americanas é 45 anos de idade; a expectativa de vida média das mulheres nos EUA é de 79 anos. 50% dos suicidas são homossexuais praticantes. Um quarto dos homossexuais americanos é alcoólatra ou viciado em drogas. 43% dos homossexuais admitem já ter tido mais de 500 parceiros sexuais. 28% admitem mais de mil parceiros sexuais. 79% deles admite que a imensa maioria destes contatos foi com pessoas absolutamente desconhecidas.
---------------------------------------------------------------
Esses problemas citados ( drogas e grande número de  parceiros sexuais) não são causados pela  homossexualidade em si, mas são conseqüências dela.

Lorota. Isso poderia ser dito nos anos cinqüenta, mas não mais hoje em dia. Pelo contrário, aliás. Os heterossexuais são mal-vistos em muitos ambientes e a sodomia é considerada "chique".

Qualquer  pessoa obrigada a conviver com a rejeição diária de sua família e da sociedade em que vive, sendo condicionada desde criança a acreditar  que o gay é um ser 'pecador', anormal ou imoral, e a enfrentar a raiva, decepção e rejeição  dos pais e irmãos ou esconder sua condição para proteger-se dela, sofreria de problemas psicológicos e acabaria nesses vícios autodestrutivos, senão em coisa  pior....  Afinal o ser humano tem necessidade de  se sentir  amado e integrado socialmente para formar  uma personalidade  estável. O fato de uma considerável parcela dos homossexuais apelarem para drogas, luxúria e álcool, não quer dizer que são assim por serem homossexuais.

Ou que não são assim *imediatamente* (ou diretamente)  por serem homossexuais. Isso é evidente. Não é pq um sujeito tem uma perversão que ele vai se voltar para as drogas, mas o estilo de vida "gay" normalmente engloba o abuso de drogas, etc. Isso ocorre pq há um desajuste entre o sexo inato do sujeito e a sua percepção construída de si mesmo, entre seus desejos naturais e sua auto-consciência, que vai no sentido contrário. Não é a sociedade que os leva a colocar-se em risco, sim os desajustes emocionais gravíssimos que decorrem de tentar equilibrar pulsões radicalmente opostas em uma pessoa só.

É por isso que devemos ter cuidado ao tratar com estas pessoas, levando sempre em consideração que estão dilaceradas por pulsões opostas e podem ora pender para um lado, ora para o outro. Devemos sempre procurar ajudá-los a adequar sua personalidade a suas tendências inatas, que eles não aceitam por não terem tido um direcionamento (que normalmente é feito de modo inconsciente) na primeira infância. Assim, normalmente os homossexuais são muito mais sensíveis a perdas de confiança, por exemplo (como quando alguém conta a terceiros um segredo que lhe foi confiado por um amigo homossexual), já que isso faz com que, de certa fora, revivam o trauma da ausência paterna.

O Carlinhos cita um gay com mais de mil parceiros... e eu pergunto:
Quantos parceiros uma prostituta ( heterossexual) tem em sua vida? Garanto que muito mais de mil! Luxúria  e grande  número de parceiros não é característica somente dos homossexuais, isso eu garanto.

Mais uma vez, volte à proporção. Lembre-se da ruazinha, etc. Além do mais, uma prostituta é uma profissional. Se um programador passa doze horas por dia diante do computador trabalhando isso não é um problema. Se um menino falta às aulas para passar doze horas por dia diante do computador, ele precisa de ajuda. Se um motorista dirige dez horas por dia ele está fazendo o seu serviço; se alguém passa dez horas por dia rodando de carro pela cidade sem fazer nada, é provável que algo esteja errado com ele. E por aí vai.

Se formos acreditar e julgar todos baseados em dados estatísticos,  poderemos  dizer que os heterossexuais tem tendência a serem estupradores e criminosos, porque a maioria esmagadora dos estupradores e dos ladrões, assassinos, etc. etc nas prisões são heterossexuais.  E aí?

Mais uma vez, proporcionalmente o número é bem menor. Digamos que 5% da população seja homossexual (é mais provável que o número verdadeiro seja uma pequena fração deste). Se 33% dos criminosos condenados por crimes sexuais são homossexuais assumidos, vemos que:

Um criminoso sexual em cada três é homossexual
Uma pessoa em cada 20 é homossexual

Ora, se uma pessoa em vinte responde por um crime sexual em três, a chance de um membro deste grupo ser um criminoso sexual é mais de seis vezes (20/3 = 6,666...)  maior que a chance de um membro do grupo majoritário o ser. Podemos assim dizer que, sim, há uma tendência quase sete vezes maior aos crimes sexuais nas pessoas que têm sua sexualidade psicológica desajustada da biológica.



 4 - Os homossexuais não têm relações conjugais estáveis porque não têm direito a casar-se.
Mentira. Para começar, eles têm sim este direito; não têm é o direito de casar-se com pessoa do mesmo sexo, como aliás os heterossexuais também não têm. Além disso, hoje em dia a quantidade de casais heterossexuais que vivem juntos sem casamento é enorme, e não é um documento de casamento civil que vai aumentar ou diminuir o número de relações de casal estáveis entre os heterossexuais. O que os movimentos ativistas homossexuais procuram é fazer com que a população aceite o homossexualismo como algo tão correto e aceitável quanto o matrimônio. Alguns grupos ativistas homossexuais dizem que querem o "casamento gay" por questões de herança; se assim fosse, estariam lutando pelo direito, inexistente no Brasil, de definir em testamento para quem vão todos os seus bens. Assim um pai poderia definir que todos os seus bens vão para um determinado filho e não para os outros, ou um homossexual poderia definir que seus bens vão todos para seu parceiro. Isto, porém, não interessa a eles, pois o que eles desejam é ver o homossexualismo aceito como igual ao matrimônio pela sociedade.
------------------------------------------------------------

E por que o matrimônio seria superior aos outros tipos de relacionamentos afetivos estáveis? Porque  é um sacramento?

Ou seria o contrário (o matrimônio é um sacramento por santificar uma união superior a outros tipos de relacionamentos afetivos estáveis)? Afinal, do matrimônio vem a continuação da espécie (especialmente se considerarmos que, ao contrário dos animais, o ser humano precisa de muitos anos até estar pronto para o mundo, e durante ao menos este período ele precisa de um pai e uma mãe).

Bom, muitas pessoas, inclusive cristãs, vivem juntas sem receber as bênçãos do matrimônio  e mesmo assim tem  o seu  relacionamento reconhecido pela justiça dos homens com igualdade de direitos ao matrimônio civil e religioso ( concubinato).

O que já é péssimo...

Agora quando se trata  de um relacionamento afetivo estável homossexual, a coisa muda  de figura,  porque  o Estado acha um absurdo dois homens ou duas  mulheres viverem anos, décadas ou até uma vida inteira ao lado de outro,  construindo juntos um patrimônio considerável...

Que seja mudada a lei de herança. Se vc se candidatar com esta plataforma tem o meu apoio. :)

O Estado e a Igreja preferem que  uma criança passe fome nas ruas e  se torne uma criminosa a permitir que seja adotada e educada por um casal homossexual,

Quer dizer que ela fatalmente se tornará uma criminosa? Bom, deixando isso de lado, há vários argumentos não religiosos contra a adoção por "casais" homossexuais:

1 - A criança não terá uma figura paterna e uma figura materna, mas duas figuras confusas;

2 - A criança viverá em intensidade muitíssimo maior os conflitos do modelo de lar de seus pais ou mães adotivos com os modelos naturais ou simplesmente sociais mais comumente aceitos (que vc mesmo exagerou para justificar o alcoolismo e estilo de vida auto-destrutivo de muitos homossexuais - imagine o efeito disso em uma criança!!!);

3 - "Casais" homossexuais normalmente são extremamente instáveis (ao menos os de homossexuais masculinos), o que diminui tremendamente as chances da sobrevida do "casal" ser o bastante para a educação da criança;

4 - O estilo de vida auto-destrutivo da imensa maioria dos homossexuais faz deles maus modelos (além de diminuir a chance de viverem tempo suficiente, como o triste caso da cantora que morreu agora e deixou um órfão exemplifica bem);

5 - A dissociação completa entre reprodução e prazer sexual - uma das causas de abandono familiar, aborto, etc. - é vista e vivida como correta pelos homossexuais, o que terá graves conseqüencias para a criança em seu futuro. E por aí vai...

ou então que alguém que trabalhou a vida inteira ao lado do companheiro perca tudo ou boa parte do patrimônio em caso de falecimento do companheiro, porque a lei atual não prevê nada nesses casos...  Coisa 'interessante' e 'caridosa' , não é??? E isso é apenas a ponta do iceberg.

Isso é realmente asqueroso. O ideal seria que cada um tivesse direito pleno a determinar o que é seu e para onde vai. Assim, pessoas que vivem juntas (sejam eles irmãos, primos, sodomitas ou freirinhas) poderiam fazer testamento determinando que seus companheiros fiquem com o que lhes pertence, pais poderiam evitar a divisão de propriedades determinando que um determinado filho herde tudo, etc. A legislação brasileira é um assalto à propriedade particular, e isso não tem nada a ver com sodomia, nem equiparar o matrimônio à sodomia é solução.



 5 - Discriminar as pessoas por sua "preferência sexual" é equivalente a discriminá-las por causa da cor de sua pele.|
  Mentira. A discriminação causada por preconceito racial é uma discriminação da pessoa pelo que ela é, pela cor de sua própria pele. Uma pessoa discriminada por causa da cor de sua pele é uma pessoa discriminada pior causa de algo que ela nunca pode mudar, por causa de algo que ela é. Já a discriminação por "preferência sexual" é uma discriminação por causa do que a pessoa faz, não pelo que ela é.
------------------------------------------------------------
Meus queridos, ' preferência sexual' não existe...

Existe, meu caro, existe. Se todo tivessem a mesma preferência, o que seria do amarelo? :)

Sem brincadeira: alguns preferem as louras, outros as morenas. Outra pessoas, porém, por problemas na sua formação de personalidade, preferem membros do próprio sexo.

Garanto a você que a homossexualidade  é uma característica imutável, assim como  a  cor de seus  olhos e a tonalidade real de sua pele ...

Se fosse assim, gêmeo univitelinos seriam sempre iguamente homossexuais ou igualmente heterossexuais...

Vocês acham que se a homossexualidade fosse mesmo uma OPÇÃO sexual ou um "meio" de vida ela ainda existiria?

Tanto acho, que ela ainda existe. Na verdade, devido à ruptura das famílias causada pela visão do prazer sexual como algo completamente dissociado da reprodução, o homossexualismo só tem feito aumentar. A cada geração aumenta o número de crianças criadas por mães soleiras, e, logo, o número de homossexuais (nem todo filho de mãe solteira é homossexual, mas a proporção é maior por haver dificuldades evidentes de encontrar uma figura paterna).

Ninguém escolhe ser diferente ( ainda  mais quando essa diferença nos coloca  em desvantagem social).Não conheço nenhum gay ou lésbica que tenha escolhido de boa vontade sentir atração pelo mesmo sexo. Muitos deles, se perguntados se querem 'mudar de vida' e se  tornarem heteros, responderiam positivamente, aliás todo homossexual que tem mais de dois neurônios sabe que isso é impossível, assim como é impossível a  um homem heterossexual passar a  'gostar' de outro  homem.

Não é impossível. É extremamente difícil e doloroso, visto ser necessária uma verdadeira re-formação da personalidade (em geral isso é feito ou através da adesão involuntária a uma figura paterna, como um líder, ou através de um processo psicanalítico de reconstrução e des-recalque da figura paterna real, buscando perceber e amar o pai que teve e negou), mas não é impossível. O problema é que muita gente só pensa em coisas como um "pastor" que chega, bota a mão na testa do sujeito, empurra para trás e "expulsa a pomba-gira". Isso, é claro, não funciona. O problema é da mesma natureza de, por exemplo, curar uma pessoa terrivelmente tímida. As dificuldades são as mesmas, e não é um processo fácil. Ele é, contudo, possível.

E a própria igreja sabe disso, mas prefere não mexer no 'vespeiro'...    Se Ela  acreditasse realmente  na possibilidade de reversão da homossexualidade,   iria orientar os homossexuais (católicos)  a procurarem ajuda profissional e não a praticarem a castidade, como é ensinado atualmente. :-)

1 - Praticar a castidade (tanto para homossexuai como para heterossexuais) é o mínimo. O heterossexual casto só tem relações sexuais dentro do matrimônio.

2 - O tratamento não é da alçada da Igreja. A moral é. A moral ensina que relações homossexuais (não desejos homossexuais, mas relações)  são pecaminosas. Assim, a pessoa deve se abster dessas relações. É evidente que para ela será muito melhor se ela procurar se tratar (como seria melhor para o heterossexual viciado em masturbação procurar ajuda psicológica), mas isso já escapa da alçada da Igreja.

Aliás qualquer  psicólogo ou médico sério sabe muito bem que é impossível reverter com sucesso a  sexualidade humana. Nenhum "homem" vira gay, assim como nenhum gay vira "homem".

Pelo contrário, eu diria. O movimento "gay" conseguiu retirar o homossexualismo da lista oficial de doenças da OMS.  O presidente da OMS declarou na época que esta foi uma decisão puramente política. Existem milhares de casos analisados e comprovados de cura desta síndrome. O problema é que hoje em dia a "ditadura gay" impede até mesmo que se tente. Um psicólogo brasileiro que queira tratar um homossexual e ajudá-lo a ajustar sua psique e seu corpo pode ser até mesmo suspenso, enquanto cirurgias plásticas de "mudança de sexo" são feitas pelo SUS, com o meu, o seu, o nosso dinheiro.



 Há uma discriminação que freqüentemente chega a ser criminosa, entretanto: quando é uma agressão simples, sem caridade e sem desejo de auxílio, a discriminação contra os homossexuais é errada. Assim, do mesmo modo como não se deve atacar física ou moralmente (dando socos ou xingando) alcoólatras ou viciados em drogas, não se deve atacar homossexuais.
--------------------------------------------------------------
A maioria das agressões sofridas por homossexuais são desse tipo. Basta prestar  atenção ao mundo que os cerca...

É verdade. O problema é que os fascistas do "movimento gay" usam estas injustiças como plataforma para exigir injustiças anda maiores. Se eu vir um pitboy batendo em um sujeito só pq ele é homossexal, vou dar uns tapas no pitboy para ajudar sua vítima. A existência destas injustiças, porém, não justifica inserir injustiças ainda maiores na letra da lei (como proibir o tratamento ou penalizar um dono de hotel ou pousada que não queira alugar um quarto com cama de casal para dois homens).
 
Apoiando-se  em preceitos e escritos religiosos e defensores da moral, se acham no direito de atacar  e chamar os homossexuais de imorais,  doentes e pervertidos (  embora não exista base científica para
se afirmar isso) .

E o que seria uma base científica para um julgamento moral? Isso é uma contradição em termos. Ciência é feita em laboratório, e deve submeter-se à moral. É impossível fazer moral cientificamente, mas é necessário fazer ciência moralmente.

A mídia adora ridiculariza-los  nos programas humorísticos e folhetins de rádio e TV.

Olha, uma vez perguntei para um sujeito que conhece o riscado (um maquiador profissional, portador de peitos de silicone) qual fôra a última vez que ele vira um homossexual na TV que não fosse uma pessoa maravilhosa. Ele disse que nem se lembrava de jamais haver visto algo assim. O que é visto como "ridículo" por homossexuais do tipo "machão" (como eram os membros da elite nazista) é o homossexual afeminado. Ora, os homossexuais afeminados não vêem estas figuras como ridículas.

Pelo contrário, aliás. Quem é ridicularizado na TV é o clero! Vc por acaso se lembra de algum padre de novela que não fosse ou um monstro castrador ou um sujeito bonzinho que se sente terrivelmente oprimido por seu medonho voto de celibato e se apaixona "libertadoramente" por uma moça, encontrando sua felicidade ao romper seus votos?

Os homossexuais são obrigados desde a mais tenra infância a tolerar piadinhas, insinuações ofensas das  mais diversas pessoas, inclusive de membros de sua própria  família. Dados de Ongs homossexuais e do GGB  inclusive apontam o Brasil como  um dos países onde mais se matam homossexuais e travestis, fora os pais e mães  que expulsam os filhos homossexuais de casa ao descobrirem sobre sua condição sexual...

O que é condenável. Pessoas doentes devem ser ajudadas, não hostilizadas.



 Eles devem ser ajudados a libertar-se desta doença e buscar uma cura, não ser atacados. A agressão pura e simples não leva a bem nenhum.
----------------------------------------------------------------
Se existisse 'cura'  ou  ela estivesse disponível, não existiriam homossexuais, não concorda?

Não, não concordo. Vc não vai negar que é possível parar de beber, mas tbm não vai negar que em qualquer botequim há bebuns em penca!!! Quando se trata de algo que toca ainda mais fundo na própria personalidade da pessoa, mais ainda quando há uma verdadeira campanha pró-homossexualismo na TV e na imprensa procurando incentivar os homossexuais a fazer de sua doença um motivo de orgulho, mais ainda quando o psicólogo corajoso pode ser gravemente punido e será certamente hostilizado e crucificado pela mídia... é evidente que poucos procurarão ajuda.

Homossexualidade não é mais considerada como doença nos meios científicos.

O que foi uma decisão política obtida por pressão financeira e política de um lóbi, não uma decisão médica.



 Há porém outro tipo de discriminação que é saudável...
-----------------------------------------------------------
Discriminar não é uma atitude positiva e portanto nunca poderá ser saudável para ninguém....

Então coma lixo. Discriminar entre comida e lixo é necessário para viver.



 que consiste em perceber o mal que acomete a pessoa e buscar ajudá-la a evitar situações que poderiam ser perigosas. Assim como não podemos querer que um alcoólatra seja vigia de um depósito de bebidas alcoólicas, para seu próprio bem, não podemos aceitar que um homossexual viva ou trabalhe em situações em que a tentação seja demasiadamente forte e difícil de resistir (por exemplo: ser militar, conselheiro escolar ou chefe de escoteiros, etc.), também para seu próprio bem. Esta discriminação não é agressiva; ao contrário, é uma proteção e visa o bem de todos.
------------------------------------------------------------
Se formos pensar assim, um colégio de moças não poderia ter professor do sexo  masculino, porque senão o tal homem estaria  em permanente  'tentação'... não é?

O melhor é mesmo que não tenha. É possível ter (ainda que hoje em dia seja difícil ter um colégio de moças!!!), mas certamente ele não deverá ficar em posições em que tenha acesso íntimo e solitário às moças. O vc é contra a horrível discriminação que impede homens de entrar em banheiros femininos e vice-versa?

Iríamos inaugurar uma era de segregação sexual para defender esse ponto de vista? Duvido! Será que o autor, já ouviu falar sobre autocontrole  e profissionalismo? É como diz o ditado: "Onde  se ganha o pão, não se come a carne".

Olha, "o autor" sou professor. Dou aulas para muitas moças bonitas, e nunca tive absolutamente nada com aluna nenhuma. Na verdade, minha esposa é a única menina da cidade dela e da idade dela que não foi minha aluna!!!

Já tive, contudo, que tirar uma aluna da minha cama, onde ela esperava me seduzir (ela convenceu o caseiro a deixá-la entrar). Foi difícil - a moça era linda!-, e olha que minha sexualidade não é contrária a minha psique. Ora, se isso já é difícil no caso de uma sexualidade ordenada, no caso de uma desordenada é muito mais difícil. Homossexuais podem ser bons professores (um dos melhores professores que conheço é homossexual), mas é pecaminoso colocar-se em ocasião próxima de pecado. Assim, o homossexual não deve ser militar, chefe de escoteiros, etc., e eu não devo ser vigia de vestiário feminino!!!



 6 - A Bíblia não fala nada contra o homossexualismo.
  Mentira. No Antigo Testamento o homossexualismo é condenado por Deus nos termos mais fortes como um crime abominável (Lv 18,22), chegando a merecer a pena de morte (Lv 20,13, como aconteceu com a cidade inteira de Sodoma (Gn 19).
--------------------------------------------------------------------
A nesse ponto sobre a bíblia o autor disse uma Verdade... Mas essas proibições do Levítico são desconsideradas em sua maioria pela nossa sociedade. Aliás o Levítico  considera abominação um monte de coisas que hoje fazemos, como por exemplo comer carne com sangue ( Lv 19,26), cortar o cabelo muito curto ( em redondo) e raspar a barba (Lv 19, 27), fazer tatuagens ( Lv 19,28), isso além de  outros absurdos que nossa sociedade atualmente ignora. Há um montão de restrições alimentares e comportamentais absurdas na bíblia que são atualmente ignoradas, mas a sociedade machista mantém somente a do homossexualismo por puro preconceito e opressão patriarcal...
    Não venha me dizer que a proibição ao homossexualismo é repetida várias vezes  na bíblia e é justamente  por isso que a igreja considera tal fato como "pecado",  porque o mesmo se dá a respeito da proibição ao culto e confecção de imagens  e  mesmo assim  a igreja não só interpreta esses versículos a sua maneira, como também ignora e reinterpreta sob ótica  cristã, vários outros pontos da lei mosaica considerando-os obsoletos  e ultrapassados frente  a revelação de Cristo (  tipo circuncisão e a lei do olho por olho, por exemplo....).

A coisa é mais complexa que isso, e creio que não vale a pena entrar no assunto teológico agora. Leia um artigo meu chamado "A Lei de Moisés e a Compreensão do Aparentemente Incompreensível",  que trata justamente das leis do Antigo Testamento que são mantidas no Novo e das que não o são mantida. Já vimos que estamos de acordo no ponto básico, ou seja, que a Bíblia não é omissa em relação à sodomia.



 No Novo Testamento, Deus nos ensina pela boca de São Paulo Apóstolo que o homossexualismo é contrário à natureza e depravado (Rm 1,24ss) e que os efeminados e sodomitas não herdarão o Reino de Deus (1 Cor 6,10).
------------------------------------------------------------------
Uma leitura atenta dos  escritos de Paulo  sobre o tema é deveras esclarecedor ...
Percebe-se claramente que o apóstolo Paulo, julgava o desejo  pelo ato de sodomia uma conseqüência (castigo divino) ao pecado da idolatria e não um pecado diverso como por exemplo a gula  ou luxúria.
Paulo acreditava que os cultos idólatras incentivavam a luxúria e por  isso como conseqüência dela os homens ardiam de paixão uns pelos outros e as mulheres mudavam o uso 'natural' (pênis + vagina) por outro  'não natural' (pênis + ânus).
 Sabemos hoje que isso não  é verdade, porque senão todo pagão (idólatra) seria sodomita. Imagine explicar o crescimento populacional da China e da Índia (adorando seus milhares de deuses) sob essa ótica nos dias de hoje, ou então a sobrevivência das tribos indígenas brasileiras, por exemplo... ;-)

Não, vc não entendeu o que o Apóstolo escreveu. Não são os cultos idólatras que têm este efeito, mas o pecado. Tanto a idolatria qanto a sodomia são formas de negar a Deus, mas a sodomia é uma forma mais violenta de pecado.

Agora, em (1 Cor 6,10), Paulo não faz referência direta a 'sodomitas', mas  fala somente sobre os 'efeminados' . Paulo nesses versículos não quis se referir diretamente aos homens com características efeminadas (até porque existem homens efeminados que são heterossexuais e são casados).
O  que Paulo quis condenar são os homens sem fibra e assustadiços como 'mulheres', tanto  é verdade que não usou nesses versículos o termo grego "pederasta" - conhecido e muito usado naquela época para definir o homossexual  - mas outro termo grego ( não me  lembro qual) para se referir na realidade aos  homens que são"covardes" e tímidos como mulheres.  Portanto a tradução mais  fiel para o termo grego usado  por Paulo seria  COVARDE e não efeminado.

Ele fala do "arsenokoitai", e este termo é univocamente designativo dos sodomitas. Além disso, ele está enumerando pessoas que fazem atos desordenados, não pessoas com fraquezas. Leia a enumeração e vc verá que sua eisegese não faz o menor sentido no contexto.

Mas mesmo o  apóstolo dos gentios considerando a homossexualidade como "pecado" ou conseqüência dele,  devemos entender  que fez  isso baseado nos parcos conhecimentos de que dispunha sobre o tema, afinal garanto que  ele também achava que a terra era plana... E daí? Devemos levar isso tão a  sério?

Sim, se vc for cristão. Se vc não for, simplesmente não faz o menor sentido tentar fazer uma exegese . Se vc souber ler inglês, leia o debate sobre o mesmo assunto de que participei.

O importante é que  Jesus nunca condenou os homossexuais, aliás condenou o adultério, o divórcio,  a luxúria, o concubinato, etc. mas em versículo nenhum dos evangelhos ele se refere aos homossexuais como pecadores empedernidos e merecedores do inferno (disse  isso  sim, aos hipócritas e aos falsos religiosos).

Se vc é cristão não há diferença entre o que está escrito nos Evangelhos ou em Romanos e 1Coríntios. Tudo isso é Palavra de Deus. Aliás, se  vc não é, tampouco faz diferença: tudo isso seriam palavras de homens...

Aliás Ele mesmo coloca os moradores de Sodoma como juízes dos homens do seu tempo, mostrando que pelo menos em alguns pontos eles eram melhores que  muitos deles...

Não, ele os usa como parâmetro do que é um crime hediondo que merece muito castigo...

É como  diz a Neuzinha paneleira:
"PIMENTA NO FIOFÓ DOS OUTROS É REFRESCO!!!!"

Sábias palavras, presumo.

©Prof. Carlos Ramalhete - livre cópia na íntegra com menção do autor
-
©Prof. Carlos Ramalhete - livre cópia na íntegra com menção do autor
Aviso ao leitor: Alguns artigos foram escritos em algum momento dos últimos quinze anos; as referências neles contidas podem estar datadas, e não garantimos o funcionamento de nenhuma página de internet nele referida.

1 comment:

There was an error in this gadget